arrow_drop_down
Não haverá tronos vazios!

Não haverá tronos vazios!

”Existe um lugar reservado para você. Uma coroa reservada para você. Uma harpa especialmente feita para você. Ninguém receberá o que é reservado para você. Aquilo que é seu. O que está reservado para você no céu. Um dia você terá tudo isso, porque não haverá tronos vazios na glória quando todos os escolhidos estiverem reunidos.”

Estas palavras acima são de um dos maiores evangelistas do século 19: Charles H.Spurgeon.

Spurgeon descreveu bem a realidade celestial para nos dar a convicção de que ao passar pela morte, podemos ter uma garantia de que algo muito maior, melhor e eterno nos espera!

Não fique inseguro ou amedrontado quanto ao que virá. Não se distancie da verdade que temos após o ciclo da vida que estamos construindo neste momento. Todo cristão, deve meditar no céu e sobre o céu. Isso nos fortalece e nos assegura que a luta no caminho e o destino momentâneo da morte será vencido. 

Aliás, a morte foi vencida...


"Onde está ó morte, a tua vitória? Onde está ó morte, o teu aguilhão? Tragada foi a morte pela vitória!" (1Coríntios 15:55). A morte não tem a última palavra. A morte foi vencida. Jesus matou a morte com sua morte ao ressuscitar dentre os mortos. Todo aquele que crê em Cristo não morrerá eternamente, pois Jesus é a ressurreição e a vida. E nos garante: não haverá tronos vazios!

Concluímos aqui com uma verdade que apóstolo Joel Pereira sempre declara: 

“Deus agendou seu nascimento e já agendou sua morte, e entre eles está o seu propósito. O tamanho da sua vida não é ligado ao que você faz, mas sim ao seu propósito.

Você não morre quando envelhece, você morre quando termina.”


E para que o término não seja fundamentado somente em lágrimas e um sentimento de perda ou luto, construa um legado para que sua vida aqui seja uma parte do que ainda virá!


E o que virá, não será: “A morte tem a última palavra!”

Ela nunca teve! 

Mas o que temos, agora, é uma viva esperança! 

Nosso destino não é um túmulo gelado, ou tronos vazios, mas sim, a vitória por Cristo e a glória eterna!


:: Pr. Sidão