arrow_drop_down
UM EVANGELHO SEM CORRENTES

UM EVANGELHO SEM CORRENTES


PALAVRA DE ESTUDO DE CÉLULA


05/09 a 11/09




UM EVANGELHO SEM CORRENTES


2ªTimóteo 2:8-10.

Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu evangelho; pelo qual estou sofrendo até algemas, como malfeitor; contudo, a palavra de Deus não está algemada. Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória”.

  

A palavra de Deus não está algemada!!! O apóstolo diz que pelo motivo de pregar o evangelho do Cristo ressuscitado está preso, algemado como se fosse um criminoso, mas ao mesmo tempo ele passa uma paz de que ele o faria de novo, porque o motivo é maior do que sua vida, o evangelho sem correntes sendo pregado aos gentios. Ele de fato colocou a missão acima de sua própria existência. 

João 17:17 – “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade”.

Salmos 147:15 – “Ele envia as suas ordens à terra, e sua palavra corre velozmente”.

Atos 12:24 – “Entretanto, a palavra do Senhor crescia e se multiplicava”.

             A palavra de Deus não está algemada e nós também não. Você vai entender nessa palavra que já por anos foram feitas tentativas de acorrentar a palavra de Deus e por sua vez o evangelho. Até hoje ainda existem lugares no mundo que é proibido a pregação do evangelho, mas a palavra sempre vai vencer, ela corre, ela cresce, ela liberta. 

Vamos discorrer sobre o que o Apóstolo Paulo diz: Podem até me prender, mas a palavra de Deus não está algemada. 

Constantino após uma visão que teve da cruz de Cristo, ele manda esculpir nos escudos de seus soldados o que havia visto e prometeu que ao vencer aquela batalha tornaria o cristianismo a religião Romana. Ele o fez após vencer o que havia prometido. Assim pararam por um tempo de perseguir os cristãos, porém, vencida essa luta externa a igreja teve que enfrentar sua maior batalha que foi contra as heresias estabelecidas, que foi a batalha interna que perdurou por séculos. Isso deu-se por volta do Ano 300 D.C.        

Um pouco de história- Antes que Constantino subisse ao poder, a adoração cristã era relativamente informal. Os cristãos se reuniam nas casas para desfrutar do que chamavam: “Celebração do amor”, o equivalente à antiguidade nas festas em que cada um leva alguma coisa de comer. Após a refeição eles cantavam hinos, liam as escrituras, discutiam teologia e partilhavam a comunhão. 

Depois da conversão de Constantino, pessoas poderosas levaram consigo antigos conceitos de adoração, ao passarem a crer em Cristo e começaram a influenciar as comunidades cristãs.

A adoração cristã começou a incorporar do protocolo imperial, incluindo incenso, roupas paramentadas, procissões, coros e cortejos. A adoração se tornou formal e hierarquizada, relegando a congregação a um grupo de meros espectadores. Na idade média a bíblia ficava literalmente acorrentada ao púlpito na Europa, isso levou a uma tragédia. Quem controla a propriedade da igreja e as escrituras acabou controlando as pessoas e, por fim, o governo. O que começou com um movimento dedicado a levar a verdade de Jesus para todos os cantos do mundo, acabou tornando-se uma instituição voltada para dentro.

Já no futuro com a invasão dos Otomanos, os estudiosos cristãos fugiram para o oeste, rumo à Europa levando consigo antigos manuscritos da Bíblia em hebraico e grego. Esses manuscritos encontraram uma audiência receptiva entre os reformadores no ocidente. Nesse período, os oficiais eclesiásticos eram os únicos com acesso a bíblias, cujo texto era em uma tradução latina chamada vulgata, criada originalmente mais de mil anos antes! Elas ou ficaram trancafiadas em bibliotecas ou eram acorrentadas em púlpitos. 

O que estava em jogo era o “controle”, pois sabiam que logo as pessoas tendo acesso às escrituras, perceberam que que a igreja do século XVI não se parecia nada com a igreja descrita no Novo Testamento.

Até que o evangelho foi desacorrentado do púlpito e passou a ser acessível para o homem e mulher comum. 

  1. A grande descoberta - Ninguém pode lutar contra a verdade e prevalecer. A Bíblia é fogo que destrói os nebulosos argumentos dos críticos e martelo que esmiúça a dureza dos que a resistem. Ela é luz para nossos passos, alimento para nosso corpo e vida para nossa alma. Quem a lê, nela medita e a obedece é bem-aventurado. 

    1. O apóstolo mostra uma expansão explosiva do evangelho – “Podem me prender mas a palavra que prego está solta”. 

  2. Por esta razão tudo suporto- Fica claro que o nível de resistência à dor está conectado à razão pela qual estou sofrendo, por isso é importante perceber que o sofrimento por Cristo é diferente do sofrimento por minhas escolhas.

    1. Paulo encerra mas palavra do Senhor continua- Os confinamentos da vida, tentaram silenciar a tua voz - mas Deus quer que você faça declarações. O Poder de sua voz vai mudar as coisas ao teu redor

  3. Nos movemos na palavra

    1. Estamos nos movendo ou apenas nos reunindo? 

    2. Fazemos diferença mensurável em nossa comunidade local?

    3. Levantamos recursos para levar o evangelho de Jesus e dar esperança ao mundo ou para atender uma estrutura rija e decisões unilaterais sem visão de alcance das vidas?


NOSSAS CÉLULAS SÃO A MAIOR PORTA DE ENTRADA PARA O EVANGELHO.


  Em uma celebração podemos falar a um grande público, mas no cuidado diário temos grupos menores para cuidar melhor do rebanho! Esse equilíbrio é importante, lembrando que a mensagem é a mesma, mas a estratégia é diferente. 

“Não existem super pastores. Quando uma igreja cresce, é impossível um único pastor cuidar de todas as ovelhas. O pastoreio por meio dos grupos é a solução bíblica para que todos sejam pastoreados.” 

Atos 5:42 – “E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo”.

Hebreus 10:25 – “Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajando-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia”. 

Romanos 16:17 – “Recomendo-lhes, irmãos, que tomem cuidado com aqueles que causam divisões e colocam obstáculos ao ensino que vocês têm recebido. Afastem-se deles”. 

Somos uma igreja em células, edificamos a fé, fortalecemos o emocional das pessoas, pastoreamos mutuamente e vivemos a unidade como rebanho para sermos enviados.


  1. Não houve quem o prendesse- A comparação do Cristo ressuscitado com a palavra que não pode ser presa não é acaso - Quando Jesus desceu ao inferno, nenhuma cadeia pôde prendê-lo, assim também a palavra não pode ser presa.

    1. Não crie correntes onde Jesus não as colocou, o evangelho sem correntes é o evangelho que acredito, Deus nos deu a missão de alcançar os perdidos. 

“Minha paixão é por vidas”